UMA CURVA NO TEMPO

Olá, leitores! Como estão?

A resenha de hoje é sobre o livro “Uma Curva no Tempo” de Dani Atkins, publicado pela editora Arqueiro.  Vejam a sinopse:

“A noite do acidente mudou tudo… Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel está desmoronando. Ela mora sozinha em Londres, num apartamento minúsculo, tem um emprego sem nenhuma perspectiva e vive culpada pela morte de seu melhor amigo. Ela daria tudo para voltar no tempo. Mas a vida não funciona assim… Ou funciona?
A noite do acidente foi uma grande sorte… Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel é perfeita. Ela tem um noivo maravilhoso, pai e amigos adoráveis e a carreira com que sempre sonhou. Mas por que será que ela não consegue afastar as lembranças de uma vida muito diferente?”

IMG_8714

O livro começa com um acidente: Rachel sai com os amigos do colégio pra jantar (incluindo seu namorado, o cobiçado e riquinho Matt e seu melhor amigo Jimmy, que todos, exceto Rachel percebem que ele é apaixonado pela moça), pois logo cada uma irá para uma faculdade e não se verão com tanta frequência. Neste jantar é que o acidente acontece e Jimmy, ao tentar salvar Rachel, acaba morrendo.

Cinco anos depois, Rachel vive em outra cidade, ainda traumatizada e se culpando pela morte de Jimmy, porém sua melhora amiga Sarah vai casar e Rachel deve voltar à cidade onde tudo aconteceu. Sua vida não poderia estar pior: traz consigo uma cicatriz que não a deixa esquecer o acidente, seu pai está num estágio avançado de câncer, Matt agora namora uma das meninas do grupinho do ensino médio e Rachel é secretária e não jornalista como sempre sonhou. Além disso, têm sofrido com fortes dores de cabeça. Ao ver todos juntos, Rachel não aguenta a ausência de Jimmy e o rumo que sua vida tomou e num ato de desespero vai ao túmulo do amigo. Lá Rachel passa muito mal e acaba desmaiando.

Ao acordar no hospital, uma surpresa: seu pai tem uma aparência saudável, Matt é seu noivo e nunca terminaram, ela é jornalista e Jimmy está vivo! Está hospitalizada, segundo todos, por causa de uma perseguição na rua onde Rachel foi assaltada e machucada. Nada bate com as suas lembranças. Para os médicos, trata-se de uma amnésia, mas como alguém com amnésia teria tantas recordações diferentes e detalhadas de uma vida que não existiu?

A grande história do livro é sobre o que realmente é a verdade sobre Rachel. Enquanto ela tenta convencer a todos de que não está ficando maluca e tenta provar suas informações, todos a surpreendem com as escolhas que teve na vida e o que aconteceu nela. É um mistério que me prendeu ao livro e me deixou intrigada! Seria possível alguém viver dois cenários numa mesma vida?

Só posso dizer que fiquei apaixonada pela história e pela escrita de Dani Atkins. O final foi bem triste e bem feliz e bonito ao mesmo tempo.  É a primeira vez que um livro me faz sentir tantas coisas de uma só vez!

“Uma Curva no Tempo” é uma bela história sobre a conquista da felicidade e sobre o amor!

Indico que leiam este livro maravilhoso!

Beijos!

 

Anúncios

Book Haul: Junho/2016 – Parte 2

Dando continuidade ao nosso book Haul de junho, mais seis livros que adquiri esse mês. Se você não viu a  parte I, clique aqui.IMG_8694

Se junho foi recheado de promoções, mal posso esperar pela Black Friday!

Agora, vamos aos livros:

Image-4

A GAROTA DO CALENDÁRIO – JANEIRO (Audrey Carlan, Verus Editora) – Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal. Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser… Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele. POR QUE COMPREI? Ele foi apresentado no Mochilão Record e de início não pensei em comprar, pois eram 12 livros. Mas a curiosidade foi maior e comprei Janeiro e Fevereiro e agora já quero todos! Leia a resenha aqui.

A GAROTA DO CALENDÁRIO – FEVEREIRO (Audrey Carlan, Verus Editora) – Em fevereiro, Mia vai passar o mês em Seattle com Alec Dubois, um excêntrico artista francês. No papel de musa, ela vai embarcar em uma jornada de descobertas sexuais e lições sobre o amor e a vida que permanecerão com ela para sempre. POR QUE COMPREI? Mesmo motivo do exemplar “Janeiro”. Leia a resenha aqui.

O PRESENTE (Cecelia Ahern, Editora Novo Conceito) – Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte e, quando está em casa com a esposa e os filhos, sua cabeça está, invariavelmente, em outro lugar.
Numa manhã de inverno, Lou conhece Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha.
Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça que usa Louboutins com o rapaz de sapatos pretos…
Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego.
Mas logo o executivo se arrepende de ter ajudado Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber…
Quando começa a entender quem realmente Gabe é e o que ele faz em sua vida, Lou percebe que passará pela mais dura das provações.
Esta história é sobre uma pessoa que descobre quem é. Sobre uma pessoa cujo interior é revelado a todos que a estimam. E todos são revelados a ele. No momento certo. POR QUE COMPREI? O livro estava R$ 9,90 na livraria Nobel e quando vi que era de Cecelia Ahern, achei que valia a pena levar!

Image-1 (2)

AGATHA CHRISTIE – A CAPTURA DO CÉREBRO e AGATHA CHRISTIE – O INCIDENTE DA BOLA DE CACHORRO (John Curran, Leya) – Setenta e três diários pessoais. Dois contos inéditos de Poirot. Uma vida inteira de mistérios. O mundo de Agatha Christie finalmente desvendado! Quando Agatha Christie morreu, em 1976, com 85 anos de idade, ela era a autora mais conhecida do mundo, com seus livros ultrapassando os dois bilhões de cópias vendidas e traduzidos em mais de cem países. Além disso, Christie alcançou o que se julgava impossível – a partir de 1920, publicou mais de um romance por ano: cada publicação um best-seller. Em 2004, um incrível legado foi revelado: Descobertos entre outros objetos deixados na casa da família de Christie estavam seus diários – 73 cadernos escritos à mão com notas, listas e desenhos que apresentavam seus planos para diversos livros, peças e contos. Entre essas relíquias, observações, pistas e notas sobre seus famosos livros, que fascinaram gerações de leitores. Repleto de detalhes que a modesta autora jamais revelou, Os diários perdidos de Agatha Christie inclui reproduções das páginas originais de seus cadernos e cartas, e, ainda, a publicação de dois contos inéditos de Poirot. Imperdível. POR QUE COMPREI? Já disse aqui que Agatha é minha autora favorita e achei interessante ter livros que incluam trechos de suas anotações. Os dois juntos saíram por R$ 9.90 nas lojas Americanas.

SENHORA (José de Alencar, Ciranda Cultural) – “Senhora” é uma obra diferente de seu tempo, já que não é conduzido de um ponto de vista masculino, mas sim por uma mulher que traz para si a qualidade de sujeito da história. O tema central desse romance é o casamento por interesse, que José de Alencar transforma em uma espécie de transação comercial ao dividir a obra em quatro partes com nomes bem sugestivos: O Preço, Quitação, Posse e Resgate. Romance romântico com toques de realismo há em “Senhora”, por meio de sua personagem principal, uma critica sobre o modo como o dinheiro importava na sociedade da época. Seu autor procurou mostrar como a riqueza içava as pessoas por entre a alta sociedade, e como a falta de dinheiro as depreciava, como mostra ao relatar a vida de Aurélia, que vai do começo pobre à ascendência após receber a herança de seu avô. POR QUE COMPREI? Minha irmã me indicou esse livro e como tenho uma certa resistência por clássicos da literatura brasileira, mesmo sem nunca ter lido, resolvi dar uma chance, já que o comprei por R$ 4.90 na Saraiva.

E aí, alguém já leu algum dos livros que mostrei no post? Gostaram?

Até a próxima!

Três Coisas Sobre Você

Oi, como vocês estão?

A resenha de hoje é mais um livro fofo, daqueles que você pode ler entre a leitura de livros pesados para aliviar a ressaca literária. Estou falando de “Três Coisas Sobre Você”, um dos últimos lançamentos da Editora Arqueiro, escrito por Julie Buxbaum.

Primeiro deixe-me dizer que não sabia sobre esse livro e o que me chamou a atenção assim que o vi na livraria foi a capa. Olha que linda!

IMG_8641

Logo peguei o livro na mão para ler a sinopse e descobri que era amor S2!

“Setecentos e trinta e três dias depois da morte da minha mãe, 45 dias após o meu pai fugir para se encontrar com uma estranha que ele conheceu pela internet, 30 dias depois de a gente se mudar para a Califórnia e apenas sete dias após começar o primeiro ano do ensino médio numa escola nova onde conheço aproximadamente ninguém, chega um e-mail. Deveria ser no mínimo esquisito, uma mensagem anônima aparecer do nada na minha caixa de entrada, assinada com o bizarro nome Alguém Ninguém. Só que nos últimos tempos a minha vida tem estado tão irreconhecível que nada mais parece chocante…”

O livro conta a história de Jessie, que é forçada a se mudar de Chicago para Los Angeles para a casa da nova mulher (rica!) do seu pai. Nova cidade, nova escola, novo estilo de vida… A adaptação parece mais difícil: um irmão postiço gay que a ignora, uma madrasta que mal a conhece e uma escola onde não tem amigos. Tudo parece difícil para Jessie até o e-mail de Alguém Ninguém, ou AN, entrar na sua caixa de entrada.

“tenho observado você no colégio, não de modo doentio, mas agora me pergunto: será que o simples fato de eu ter usado a palavra “doentio”, por definição, me torna doentio?”

AN oferece ajuda a Jessie para informá-la sobre tudo no colégio novo: com quem conversar, o que evitar, notícias… De princípio Jessie imagina ser um trote, porém após começar a notar a relutância das pessoas em fazer amizades, ela começa a conversar frequentemente com AN, tornando o laço com o amigo misterioso cada vez mais forte. E junto com essa amizade, também cresce a vontade de saber a real identidade de AN. A cada novo garoto que faz contato, Jessie procura uma pista que essa pessoa possa ser AN. Seria Liam, o cara mais popular do colégio, com quem Jessie começa a trabalhar? Ou Ethan, o cara misterioso com quem precisa se encontrar semanalmente para fazer um trabalho de inglês e por quem começa a alimentar uma pequena obsessão? Ou ainda Caleb, amigo de Liam e muito misterioso? Seria ainda uma pessoa que Jessie nunca notou?

“Todos somos versões melhores de nós mesmos quando temos um tempo extra para bolar o texto perfeito.”

O livro é bastante divertido. Em certo momento, vamos conhecendo Jessie e AN pelo “jogo” das três coisas, em que cada um diz três coisas sobre si em vários momentos, ao mesmo tempo que vão deixando claro seus sentimentos.

Também nos faz vibrar a cada obstáculo vencido por Jessie, que enfrenta bullying e rejeição de muitas pessoas, mas acaba conseguindo fazer novos amigos e começa a tentar se adaptar à sua nova vida. Também começa a lidar com a situação de falar sobre a morte da mãe. Tudo isso com a ajuda de AN.

“Os dias perfeitos são para pessoas com sonhos pequenos, possíveis de ser realizados. Ou talvez para todos nós eles só aconteçam em retrospecto:são perfeitos agora porque contém alguma coisa irrevogável e irrecuperavelmente perdida.”

O final não é tão surpreendente, mas amei todo o livro, não conseguia parar de ler, pois a leitura flui muito bem e sem dúvida é uma história meiga e interessante. Triste que a leitura acabou tão rápido!

Alguém também gostou?