Um corpo na biblioteca – Agatha Christie

Olá pessoal!

Cá estou eu novamente trazendo pra vocês mais uma resenha da minha autora favorita: Agatha Christie.

Como já contei anteriormente, gosto muito dos livros de Agatha, principalmente os que o detetive Hercule Poirot é quem desvenda o crime. Mas o livro de hoje tem outro personagem, a Miss Marple, uma senhora que tem verdadeira fixação por solucionar crimes. Abri uma exceção, pois o livro estava apenas R$  10,00 no aniversário Submarino.

agatha

Um corpo na biblioteca começa quando uma moça loira é encontrada morta e enrolada num tapete na biblioteca do casal Bantry. Após o casal afirmar que não conhece a moça, assim como ninguém nas redondezas, a polícia começa com uma investigação que leva à vítima: uma bailarina de uma cidade vizinha. A moça tinha um laço de proximidade com uma homem rico, sem herdeiros, mas que vivia com os viúvos de seus filhos mortos num acidente. Estes passam também a serem suspeitos pela morte da jovem.

Acompanhando o caso paralelamente, está Miss Marple, que foi chamada pela sra. Bantry. Miss Marple é uma detetive amadora, porém famosa por desvendar grandes casos.

Ainda para complicar mais o caso, uma outra jovem, aparentemente sem ligação com a primeira vítima, também é encontrada morta.

Bom, em livros assim, quanto mais explicamos, menos surpresa temos, então vamos às impressões!

Agatha, como sempre, nos traz casos diferentes e surpreendentes. O livro foi bem conduzido. Já a personagem Miss Marple, na minha opinião, deveria ser mais presente nas cenas, já que ela é uma das principais e mais famosas personagens de Agatha. Achei que ela funcionou como um personagem para apresentar a conclusão e não alguém envolvido com o caso.

Outro ponto que me incomodou bastante foram os vários erros de português no livro. Erro grave da Editora Nova Fronteira.

Fora isso, o livro é curto, de leitura rápida e fluida e vale tirar um tempinho para tentar desvendar mais um crime inventado pela nossa Rainha do Crime.

Anúncios