A Garota do Calendário – Abril

Olá, Pessoal!

Para vocês que estão acompanhando essa série, hoje trago para vocês a resenha de “A Garota do Calendário – Abril”.

img_8877

Neste mês, Audrey Carlan leva Mia a  Boston, para limpar a imagem de Mason Murphy, jogador do Red Sox. Mason é o típico jogador irresponsável que gosta de farrear a aparecer na mídia, mas não de forma positiva. Precisando de patrocínio, ele contrata os serviços de Mia para parecer alguém que pode levar algo a sério, como um relacionamento.

No primeiro contato, Mason se mostra extremamente arrogante e machista, porém logo Mia descobrirá que o mês de abril pode ser bem mais divertido do que pensa: festas e lugares Vips nos jogos farão parte do trabalho deste mês. Ao mesmo tempo que conhecerá o verdadeiro Mason e descobrirá que atrás do cara irritante pode existir alguém divertido e um grande amigo.

Dentre os acontecimentos deste volume, Mia fará o papel de cupido, também terá um encontro (caliente) com alguém do passado e uma surpresa em relação a Wes. Querem saber que personagens estão envolvidos nestas situações? Leiam e descubram!

Como já falei estou amando a série, inclusive conheci a autora (vejam aqui). O mais legal é que apesar de todo mês Mia estar à disposição de um homem diferente, os livros não são repetitivos, cada um abordando um tema, uma situação diferente, mostrando um novo aspecto da vida da Mia.

Uma coisa curiosa que estive pensando: se Mia fosse brasileira, com certeza seria uma subcelebridade. Cada mês com um homem, todos pessoas da mídia. Será que alguém a reconhecerá nos próximos livros? Foi só um pensamento, rs.

Se você chegou até aqui por curiosidade e quer saber mais detalhes sobre a série, na resenha de janeiro (aqui) explico melhor. Também já foram publicadas as resenhas de Fevereiro e Março.

Estão gostando da série? Espero que sim!

Até a próxima!

 

Tarde de autógrafos Audrey Carlan no Rio: Eu fui!

Olá a todos!

Em época de Bienal do livro em São Paulo, quem assim como eu mora no Rio chora. Tantos videos do pessoal aproveitando e tantos autores bons nesse ano… Enfim, o maior pesar foi saber que a Audrey Carlan, autora de “A Garota do Caléndário”, série de livros que estou simplesmente amando, viria à Bienal.

Porém, algo aconteceu no domingo, 28/08: Abro o Instagram e me deparo com um post do Grupo Editorial Record mostrando a preparação para a tarde de autógrafos de Audrey Carlan na Saraiva do Shopping Rio Sul, aqui no Rio de Janeiro!

Não, a editora não planejou tudo em cima da hora. Eu que ando ocupada ao extremo e acabei não me atualizando tanto nesses dias, inclusive é esse o motivo de eu estar há uma semana sem postar aqui.

Como se não bastasse descobrir no dia, vi o post 15:53 hs, sendo que as senhas começaram a ser distribuídas às 15:00 hs e o evento começaria às 17:00 hs. Eu, que moro há uma hora do local do evento, saí desesperada, torcendo para chegar a tempo. Deu tudo certo, fui uma das últimas da fila, mas consegui!!!

Depois de algum tempo de espera, ouvir muitas discussões acaloradas sobre livros, chegou a minha vez 🙂 !

A Audrey que é a simpatia em pessoa, conversou com todas as pessoas da fila, sem pressa e assinou todos os exemplares que levamos.

Na minha vez, falei pra ela que a Mia tem o emprego dos sonhos, com todos aqueles caras maravilhosos e ela deu boas risadas. Me perguntou qual mês mais gostei até agora e quando respondi que foi Fevereiro, ela disse que também é o dela, pois é quando a Mia aprende a se amar mais. A autora ainda me perguntou qual o mês do nascimento e acrescentou um “Happy Birthday” no autógrafo do mês de maio.  Que fofa!

Adorei a experiência e deixo vocês com um recadinho da Audrey para o blog, arriscando algumas palavrinhas em português! Só clicar aqui.

 

 

 

A Garota do Calendário – Março

É sempre um prazer tê-los de volta no meu blog! Prontos para mais uma resenha?

Hoje estou de volta com essa série que já virou febre no Brasil: A Garota do Calendário, de Audrey Carlan, que a Verus nos trouxe este ano.

Se você ainda não conhece e quer mais detalhes sobre do que se trata a série, leia a resenha do volume de Janeiro aqui. Também já falei sobre o segundo volume: Fevereiro.

Março é o mês em que Mia vai para Chicago. Aliás, uma das coisas que não torna a série chata é que a cada mês, Mia está em um lugar diferente dos EUA, conhecendo coisas e costumes novos. Porém antes de tudo, Mia passa no escritório de Blaine para pagar parte da sua dívida. Blaine é um tanto sarcástico e parece não se importar com o que o pai de Mia está passando… E ainda ameaça Mia, falando que pode ser um de seus próximos clientes… Será? Pra Mia seria péssimo, mas convenhamos que daria um volume bem interessante!

IMG_8752

O cliente da vez é Anthony Fasano, dono de uma rede de restaurantes e lutador de box. Logo ao chegar na casa de Tony, Mia fica de queixo caído com a beleza do rapaz.

“Ele era enorme. Muito musculoso. Com base no que eu podia ver das coxas que apareciam debaixo da toalha, elas eram da grossura de troncos de árvore. Peitoral quadrado e músculos retangulares cortavam o tórax e o abdome. E os braços…Eu nem conseguia pensar direito em quanto queria tocar aqueles braços.”

Porém a alegria dura pouco… Logo que bate os olhos em Tony, outra figura aparece: Hector seu parceiro. Sim, o cliente é gay e fica óbvio o motivo de Mia ter sido contratada. Mas se vocês acham que não tem sexo neste livro, enganam-se. Mais uma vez Mia vai lidar com seus sentimentos e um flashback deixa o livro com um toque de excitação.

Bem, amo a série, já tenho os 8 primeiros livros comprados e confesso que esse exemplar de Março foi o que menos me empolgou. Não consegui me apegar a Tony e Hector e a história deles ficou um pouco fria. Mesmo assim o livro não foi ruim. Apenas esperava mais depois do frisson causado pelos dois primeiros.

Quem mais está lendo? O que acharam?

 

Perdida – Um amor que ultrapassa as barreiras do tempo

E aí, pessoal!

Estamos em clima de Olimpíadas no Brasil e para continuar nessa vibe verde e amarela, a resenha de hoje é de uma autora nacional: Carina Rissi. Ela é uma das autoras mais populares e mais lidas no país atualmente. Nunca tinha lido nenhum livro dela. Estava (e ainda estou) bem interessada em ler “Mentira Perfeita”, que foi muito falado no Mochilão Record, mas como sempre, minha wish list e TBR vivem lotadas e então eis que surgiu a oportunidade de encaixar “Perdida” na maratona de férias na categoria “Um livro sobre viagem no tempo”. Então, depois de algumas pesquisas, dou de cara com esta sinopse, que me ajudou a escolher essa leitura, de publicação da Verus:

“Sofia vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam. Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa – ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. Com a ajuda do prestativo – e lindo – Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos… “Perdida” é uma história apaixonante com um ritmo intenso, que vai fazer você devorar até a última página.”

IMG_8787_t

Sofia é uma personagem que retrata bem a mulher contemporânea: tem relacionamentos sem compromisso e não vive sem seu celular. Até que um dia, quando seu aparelho deixa de funcionar, corre para comprar outro e uma senhora na loja de aparelhos telefônicos vende um aparelho único, de edição limitada. Ao sair, logo descobre um problema no aparelho e algo acontece e de repente nada é como era antes. O lugar que estava torna-se mais simples e mais rural e Ian Clarke, passando em sua carruagem, a resgata, imaginando que a jovem, com roupas “minúsculas” esteve em apuros. Logo Sofia se dá conta, após ver como as pessoas se portam e se vestem, que ela não está em seu tempo e sim no século XIX.

O jeito cavalheiro de Ian e o comportamento peculiar de Sofia, logo provoca uma atração entre eles, porém Sofia precisa descobrir o que a levou para o passado e como voltar pro futuro, ao mesmo tempo que se torna cada vez mais próxima de Ian.

No primeiro terço do livro, achei bem parado e estava travando para prosseguir a leitura, porém depois disso não consegui mais parar. Carina soube fazer um romance de época interessantíssimo, com muitas pitadas de humor, como, por exemplo, a descoberta de Sofia de como era o banheiro e o papel higiênico daquele tempo, além de também ter um romance digno de um conto de fadas com o Ian, personagem que faz qualquer uma suspirar, é lindo e educado, com certeza um príncipe.

A capa da menina com vestido de baile e All Star faz tanto sucesso, que já está virando moda entre as debutantes ensaios com esse traje. É ou não é uma graça?

Amei a escrita de Carina e com certeza lerei todos os livros dela. É bom saber que temos autores nacionais que valham nossa atenção!  Ah, e Perdida tem continuação com mais dois livros: “Encontrada” e  “Destinado”. Assim que eu ler cada um, compartilho com vocês. Beijos!

 

Book Haul – Julho

E cá estamos nós em mais um Book Haul! O mês de julho passou voando e venho compartilhar com vocês o que adquiri neste mês. Não foram tantos livros como em junho, mas tem muita coisa boa.

IMG_8777

Vamos ver?

IMG_8772

A GAROTA DO CALENDÁRIO – MARÇO e ABRIL (Audrey Carlan, Verus Editora) – Mia vai passar o mês de março em Chicago com o empresário Anthony Fasano, que a contrata para fingir ser noiva dele. A princípio Mia não entende por que um homem tão lindo e másculo precisa de uma falsa noiva, mas ela está prestes a descobrir…O cliente de abril é o astro de beisebol Mason Murphy, de Boston, que precisa de Mia a seu lado para melhorar sua imagem com os patrocinadores. Mason não está acostumado a ouvir “não” de mulher alguma, e Mia vai representar o desafio supremo para ele. POR QUE COMPREI? Além de estar amando a série, aproveitei uma promoção do site Méliuz que devolvia 100% da compra na Saraiva até R$ 35,00. OBS: Esse caderninho no meio e o marcador são mimos que recebi este mês da editora por ter comprado os primeiros dois exemplares na pré-venda.  

IMG_8773

KIT CLUB DA LUTA – (Chuck Palanniuk, Leya)

Clube da Luta
Considerado um clássico moderno desde sua publicação em 1996, o livro Clube da Luta consagrou Chuck Palahniuk como um dos mais importantes e criativos autores contemporâneos, além do próprio livro como um cânone da cultura pop. O livro que estava esgotado há anos volta às livrarias nessa caprichada edição. O clube da luta é idealizado por Tyler Durden, que acha que encontrou uma maneira de viver fora dos limites da sociedade e das regras sem sentido. Mas o que está por vir de sua mente pode piorar muito daqui para frente. O livro foi filmado em 1999, pelo vencedor do Oscar de melhor diretor, David Fincher (OsHomens Que Não Amavam as Mulheres, A Rede Social), que conseguiu adaptar toda atmosfera do livro, o mundo caótico do personagem e o humor negro de Palahniuk em uma trama recebida com inúmeros elogios pela crítica e pelo público que conta com os atores Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter.

Condenada
A filha de uma estrela de cinema narcisista e de um bilionário, Madison, é abandonada em uma escola interna na Suíça durante o Natal enquanto seus pais estão divulgando seus novos projetos e adotando mais órfãos. Ela morre de uma overdose de maconha – e a próxima coisa que sabe é que está no inferno. Madison compartilha sua cela com um grupo heterogêneo de jovens pecadores que é quase bom demais para ser verdade: uma líder de torcida, um atleta, um nerd, e um punk, unidos pelo destino para formar a versão “six-feet-under” do filme favorito de todos. Madison e seus amigos caminham através do Deserto de Caspas e escalam a Montanha Traiçoeira de Unhas para enfrentar Satanás em sua cidadela. Todos os doces, que servem como moeda no inferno, não poderão comprá-los.

Maldita
A saga de Madison continua, agora no Purgatório! Madison Spencer, a menina morta mais animada do universo, prossegue com sua aventureira vida após a morte, iniciada em Condenada. Se no primeiro livro Chuck nos trouxe um inferno brilhante que só ele poderia imaginar, em Maldita a Terra é magistralmente retratada como o purgatório na obscura e retorcida visão apocalíptica deste provocante contador de histórias… Depois de um ritual de Halloween que deu errado, Madison fica presa no purgatório, ou, como é popularmente conhecido por mortais como eu e você, a Terra. Ela pode ver e ouvir cada detalhe do mundo que deixou para trás, no entanto, é invisível para todos os que ainda estão vivos. As pessoas não só podem olhar por entre ela, como andam através dela também. À medida que Madison revisita a dolorosa verdade do que aconteceu ao longo desses anos (incluindo um encontro perturbador e finalmente fatal em que… bem, deixa pra lá), sua saga de condenação eterna assume um novo e sinistro significado. Satanás teve Madison em suas vistas desde o início: por meio dela e de seus pais, verdadeiras celebridades narcisistas, ele planeja projetar uma era de condenação eterna. Para todos.

POR QUE COMPREI? A princípio não eram do meu interesse, mas vi uma promoção dos três livros + toalha por R$ 16,90, então achei uma ótima oportunidade para dar chance a livros diferentes.

IMG_8774

SOPPY – OS PEQUENOS DETALHES DO AMOR (Philippa Rice, Fábrica 231) – É uma reunião de bem-humoradas tirinhas criadas a partir de momentos da vida real da designer britânica com seu namorado. Bastante popular na web, com mais de meio milhão de postagens no Tumblr, Soppy conquistou as redes sociais com declarações de amor escondidas nos detalhes do cotidiano de um relacionamento, como dividir uma xícara de chá, a leitura de um livro, ou comentários irônicos à frente da TV numa tarde chuvosa. As charmosas ilustrações capturam com delicadeza a experiência universal de dividir uma vida a dois, e celebram a beleza de encontrar o amor em todo lugar. POR QUE COMPREI? Achei fofo e aproveitei para usar na categoria quadrinhos da #mldeferias.

MINHA VIDA DAVA UMA SÉRIE (Guilherme Cepeda e Larissa Azevedo, Editora Única)– Se você não resiste a uma série e é uma daquelas pessoas que assistem a muitas ao mesmo tempo, fica indignado quando uma delas é cancelada, vive esperando por novos episódios e novas temporadas, então, aceite: você é um de nós, um viciado em séries. E viciado em série passa por todo tipo de apuro: você não vê a hora de voltar para casa para assistir o próximo episódio porque não consegue parar de pensar: “AHH, O QUE VAI ACONTECER?”, ou quando você precisa conversar com alguém sobre o que aconteceu no final de temporada, mas seu amigo ainda não assistiu e você não quer dar spoiler ou, pior: quando você teve que desligar o computador pois já tinha virado a noite e chegou a hora de trabalhar (e a temporada não acabou!). Agora você tem como resolver – ou pelo menos aliviar – todas essas preocupações que são sintomas de um amante de séries. Este livro foi criado para você desabafar todas as suas angústias e frustrações do mundo das séries, o suspense de cada episódio, as risadas que nunca esquecerá daquela série de comédia que todo mundo já assistiu, e também para não se perder entre tantas séries queridas. Conte tudo o que quiser compartilhar sobre essa sua relação de dependência dos seriados da televisão. Aqui você encontra: Um espaço para listar seus personagens preferidos; Os 10 mandamentos do viciado em séries; Um planner para você organizar os seriados que está vendo e em qual episódio parou; E muito mais! POR QUE COMPREI? Amo livros interativos e já tenho o “Minha vida dava um livro”, que adoro! Resenha aqui.

Assim como no último Book Haul, conforme forem saindo as resenhas, atualizo os links aqui pra vocês.

Espero que tenham gostado e deixem sua opinião caso já tenham lido alguns desses livros!

Beijos!

A Lista de Brett

Olá!

O livro que será discutido hoje é “A lista de Brett”, de Lori Nelson Spielman, lançado pela Verus Editora.
IMG_8735
O livro conta a história de Brett, uma mulher de 34 anos que acabou de perder sua mãe, dona de uma indústria de cosméticos. Apesar da dor da perda, Brett esperava assumir o cargo da mãe na presidência da empresa, mas durante a leitura do testamento,Brett tem uma surpresa: todos os irmãos recebem suas partes na herança, porém a de Brett é condicionada a realização da sua lista de desejos que fez quando tinha 14 anos. Sua mãe guardou esta lista e no testamento fez a exigência de que ela cumprisse tudo em 1 ano ou não receberia a herança. O grande problema é que são sonhos de uma garota de 20 anos atrás. Alguns parecem distantes de serem realizados e outros não fazem mais parte dos desejos de Brett. A cada sonho realizado, Brett ganharia uma carta que a mãe deixou falando sobre o sonho.
O livro mostra uma Brett que começa a conhecer a si mesma durante a tentativa de realizar essas tarefas e começa a ver o quanto dela se perdeu com o tempo e com as pessoas que fizeram parte da sua vida. E muitos dos desejos se realizam nessa jornada, meio que sem querer, pelo simples fato da personagem começar a encontrar um rumo e um sentido para sua vida.  As cartas da mãe também são um incentivo a mais, pois a menina descobre o quanto a mãe a conhecia e a cada leitura é como se sua mãe estivesse mais perto dela.
“Acredito que uma forte emoção, até mesmo nascida do medo e da ansiedade, seja bem melhor que uma vida de banalidades”
Nunca li nada dessa autora, porém achei o livro magnífico, pois faz o leitor refletir sobre as lições que traz e sobre a própria vida. Eu, inclusive, já penso em fazer minha própria lista definitiva, não a que faço toda virada de ano. Acho que tive meus momentos de Brett, pois me peguei refletindo sobre muitas coisas da minha vida.
O livro me surpreendeu de forma bem positiva, não foi previsível e o final foi muito fofo. O único ponto ficou devendo é que algumas cartas não foram lidas. Mas ainda assim é um dos melhores livros lidos por mim esse ano!
O livro é sobre o amor, mas não é um romance.
Agora tchau a todos! Vou começar minha lista, rs

Book Haul: Junho/2016 – Parte 2

Dando continuidade ao nosso book Haul de junho, mais seis livros que adquiri esse mês. Se você não viu a  parte I, clique aqui.IMG_8694

Se junho foi recheado de promoções, mal posso esperar pela Black Friday!

Agora, vamos aos livros:

Image-4

A GAROTA DO CALENDÁRIO – JANEIRO (Audrey Carlan, Verus Editora) – Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal. Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser… Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele. POR QUE COMPREI? Ele foi apresentado no Mochilão Record e de início não pensei em comprar, pois eram 12 livros. Mas a curiosidade foi maior e comprei Janeiro e Fevereiro e agora já quero todos! Leia a resenha aqui.

A GAROTA DO CALENDÁRIO – FEVEREIRO (Audrey Carlan, Verus Editora) – Em fevereiro, Mia vai passar o mês em Seattle com Alec Dubois, um excêntrico artista francês. No papel de musa, ela vai embarcar em uma jornada de descobertas sexuais e lições sobre o amor e a vida que permanecerão com ela para sempre. POR QUE COMPREI? Mesmo motivo do exemplar “Janeiro”. Leia a resenha aqui.

O PRESENTE (Cecelia Ahern, Editora Novo Conceito) – Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte e, quando está em casa com a esposa e os filhos, sua cabeça está, invariavelmente, em outro lugar.
Numa manhã de inverno, Lou conhece Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha.
Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça que usa Louboutins com o rapaz de sapatos pretos…
Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego.
Mas logo o executivo se arrepende de ter ajudado Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber…
Quando começa a entender quem realmente Gabe é e o que ele faz em sua vida, Lou percebe que passará pela mais dura das provações.
Esta história é sobre uma pessoa que descobre quem é. Sobre uma pessoa cujo interior é revelado a todos que a estimam. E todos são revelados a ele. No momento certo. POR QUE COMPREI? O livro estava R$ 9,90 na livraria Nobel e quando vi que era de Cecelia Ahern, achei que valia a pena levar!

Image-1 (2)

AGATHA CHRISTIE – A CAPTURA DO CÉREBRO e AGATHA CHRISTIE – O INCIDENTE DA BOLA DE CACHORRO (John Curran, Leya) – Setenta e três diários pessoais. Dois contos inéditos de Poirot. Uma vida inteira de mistérios. O mundo de Agatha Christie finalmente desvendado! Quando Agatha Christie morreu, em 1976, com 85 anos de idade, ela era a autora mais conhecida do mundo, com seus livros ultrapassando os dois bilhões de cópias vendidas e traduzidos em mais de cem países. Além disso, Christie alcançou o que se julgava impossível – a partir de 1920, publicou mais de um romance por ano: cada publicação um best-seller. Em 2004, um incrível legado foi revelado: Descobertos entre outros objetos deixados na casa da família de Christie estavam seus diários – 73 cadernos escritos à mão com notas, listas e desenhos que apresentavam seus planos para diversos livros, peças e contos. Entre essas relíquias, observações, pistas e notas sobre seus famosos livros, que fascinaram gerações de leitores. Repleto de detalhes que a modesta autora jamais revelou, Os diários perdidos de Agatha Christie inclui reproduções das páginas originais de seus cadernos e cartas, e, ainda, a publicação de dois contos inéditos de Poirot. Imperdível. POR QUE COMPREI? Já disse aqui que Agatha é minha autora favorita e achei interessante ter livros que incluam trechos de suas anotações. Os dois juntos saíram por R$ 9.90 nas lojas Americanas.

SENHORA (José de Alencar, Ciranda Cultural) – “Senhora” é uma obra diferente de seu tempo, já que não é conduzido de um ponto de vista masculino, mas sim por uma mulher que traz para si a qualidade de sujeito da história. O tema central desse romance é o casamento por interesse, que José de Alencar transforma em uma espécie de transação comercial ao dividir a obra em quatro partes com nomes bem sugestivos: O Preço, Quitação, Posse e Resgate. Romance romântico com toques de realismo há em “Senhora”, por meio de sua personagem principal, uma critica sobre o modo como o dinheiro importava na sociedade da época. Seu autor procurou mostrar como a riqueza içava as pessoas por entre a alta sociedade, e como a falta de dinheiro as depreciava, como mostra ao relatar a vida de Aurélia, que vai do começo pobre à ascendência após receber a herança de seu avô. POR QUE COMPREI? Minha irmã me indicou esse livro e como tenho uma certa resistência por clássicos da literatura brasileira, mesmo sem nunca ter lido, resolvi dar uma chance, já que o comprei por R$ 4.90 na Saraiva.

E aí, alguém já leu algum dos livros que mostrei no post? Gostaram?

Até a próxima!