Senhora – José de Alencar

Olá, Pessoal!

Já deu pra notar que nosso blog é bem eclético, não é mesmo? Falamos de suspense, young adult, romance, fantasia…  E o assunto de hoje é literatura nacional!

Uma das categorias da #mldeférias era “Um livro que você deveria ter lido na escola, mas não leu” e logo vi a oportunidade de encaixar esse clássico da nossa literatura, o qual já tinha ouvido muito falar. Minha irmã gostou tanto que o leu duas vezes! Então, movida pela curiosidade resolvi quebrar mais uma barreira (ou um preconceito, whatever!) e li meu primeiro livro deste gênero.

Antes, é interessante saber que o José de Alencar foi um escritor cearense do século XIX, também autor de outros romances como Iracema, Diva, Lucíola e O Guarani. Hoje, falaremos de Senhora.

Sinopse:

“Senhora” é uma obra diferente de seu tempo, já que não é conduzido de um ponto de vista masculino, mas sim por uma mulher que traz para si a qualidade de sujeito da história. O tema central desse romance é o casamento por interesse, que José de Alencar transforma em uma espécie de transação comercial ao dividir a obra em quatro partes com nomes bem sugestivos: O Preço, Quitação, Posse e Resgate. Romance romântico com toques de realismo há em “Senhora”, por meio de sua personagem principal, uma critica sobre o modo como o dinheiro importava na sociedade da época. Seu autor procurou mostrar como a riqueza içava as pessoas por entre a alta sociedade, e como a falta de dinheiro as depreciava, como mostra ao relatar a vida de Aurélia, que vai do começo pobre à ascendência após receber a herança de seu avô.”

IMG_8789

A história, narrada em terceira pessoa, onde o narrador acompanha diferentes cenários, é sobre Aurélia, moça do Rio de Janeiro, cuja única riqueza que tinha era sua beleza, mas que de repente se vê só e única herdeira de seu avô, fazendeiro rico, que até a pouco tempo não a reconhecia como neta legítima, por ser fruto de um casamento em segredo de seu filho.

Aos 19 anos, Aurélia é alvo de cobiça dos homens por ser linda, inteligente, educada e agora rica, que se torna cada vez mais conhecida na alta sociedade. Porém está na idade de casar e então escolhe uma pessoa em especial: Fernando Seixas, moço pobre, porém elegante e trabalhador. Com o objetivo em mente, a menina pede ao seu tutor que seja oferecido a Seixas cem contos de réis para casar-se com ela, sem que ele saiba, antes de aceitar, quem é a noiva. Após o sim do rapaz, chega o dia de conhecê-la e uma surpresa é revelada: Aurélia é uma velha conhecida, com quem ele divide uma história em comum.

O que acontece depois, qual o objetivo deste casamento, o que Aurélia sente por Seixas, isso não vou revelar, pois não quero dar spoilers. Mas o que devem saber é que esta é uma história sobre as várias faces do amor e o que ele pode provocar.

O romance foi publicado em 1874 e como é de se esperar, a linguagem é extremamente formal e muitas das palavras não são utilizadas atualmente, o que dificulta muito a leitura. Havia adquirido um exemplar econômico dele (da editora Ciranda Cultural), mas também tinha um e-book. Apelei para este segundo, já que leio no LEV que tem a vantagem de clicar numa palavra para acessar seu significado no dicionário (nunca usei tanto esta ferramenta!). Aconselho a quem queira ler o livro físico, que deixe um dicionário do lado.

Apesar das dificuldades desta pessoa que vive na era de linguagem de MSN, adorei o livro, que é bastante rico em detalhes que nos faz compor cada cena em nossa imaginação. Sem contar que é uma história bem diferente das que tenho lido. Fiquei feliz pela iniciação à literatura nacional e já quero ler mais livros de José de Alencar.

“Senhora” já foi novela em 1975 na Globo e a história de Aurélia também foi contada pela Record na minissérie “Essas Mulheres” em 2005.

Alguém mais lê livros do gênero? Têm algum para indicar?

Até a proxima!

 

Anúncios

#MLDEFÉRIAS – MARATONA LITERÁRIA

Oi, pessoal!

Hoje vim dividir com vocês os livros que serão lidos por mim na Maratona Literária de Férias, que está acontecendo desde 16/07 e vai até 14/08. A maratona está sendo organizada pelos canais Dear Maidy, Nuvem Literária, Pronome Interrogativo e Literature-se e foram sugeridos 10 temas para a escolha dos 10 livros da Maratona. OK: não estou de férias, mas adoro desafios literários e tô cheia de livros para serem lidos, então fiz minha lista e espero conseguir ler todos (média de 1 livro a cada 3 dias). Vejam:

ML

IMG_8742

Bem, não vou me prolongar muito, até porque esses livros serão as próximas resenhas do blog, então aguardem as resenhas.

OBS: Os livros que não estão na foto, serão lidos por e-book.

Vou ficando por aqui, mas caso alguém queira dividir sua TBR, deixe nos comentários” 🙂

Book Haul: Junho/2016 – Parte 2

Dando continuidade ao nosso book Haul de junho, mais seis livros que adquiri esse mês. Se você não viu a  parte I, clique aqui.IMG_8694

Se junho foi recheado de promoções, mal posso esperar pela Black Friday!

Agora, vamos aos livros:

Image-4

A GAROTA DO CALENDÁRIO – JANEIRO (Audrey Carlan, Verus Editora) – Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal. Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser… Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele. POR QUE COMPREI? Ele foi apresentado no Mochilão Record e de início não pensei em comprar, pois eram 12 livros. Mas a curiosidade foi maior e comprei Janeiro e Fevereiro e agora já quero todos! Leia a resenha aqui.

A GAROTA DO CALENDÁRIO – FEVEREIRO (Audrey Carlan, Verus Editora) – Em fevereiro, Mia vai passar o mês em Seattle com Alec Dubois, um excêntrico artista francês. No papel de musa, ela vai embarcar em uma jornada de descobertas sexuais e lições sobre o amor e a vida que permanecerão com ela para sempre. POR QUE COMPREI? Mesmo motivo do exemplar “Janeiro”. Leia a resenha aqui.

O PRESENTE (Cecelia Ahern, Editora Novo Conceito) – Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte e, quando está em casa com a esposa e os filhos, sua cabeça está, invariavelmente, em outro lugar.
Numa manhã de inverno, Lou conhece Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha.
Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça que usa Louboutins com o rapaz de sapatos pretos…
Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego.
Mas logo o executivo se arrepende de ter ajudado Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber…
Quando começa a entender quem realmente Gabe é e o que ele faz em sua vida, Lou percebe que passará pela mais dura das provações.
Esta história é sobre uma pessoa que descobre quem é. Sobre uma pessoa cujo interior é revelado a todos que a estimam. E todos são revelados a ele. No momento certo. POR QUE COMPREI? O livro estava R$ 9,90 na livraria Nobel e quando vi que era de Cecelia Ahern, achei que valia a pena levar!

Image-1 (2)

AGATHA CHRISTIE – A CAPTURA DO CÉREBRO e AGATHA CHRISTIE – O INCIDENTE DA BOLA DE CACHORRO (John Curran, Leya) – Setenta e três diários pessoais. Dois contos inéditos de Poirot. Uma vida inteira de mistérios. O mundo de Agatha Christie finalmente desvendado! Quando Agatha Christie morreu, em 1976, com 85 anos de idade, ela era a autora mais conhecida do mundo, com seus livros ultrapassando os dois bilhões de cópias vendidas e traduzidos em mais de cem países. Além disso, Christie alcançou o que se julgava impossível – a partir de 1920, publicou mais de um romance por ano: cada publicação um best-seller. Em 2004, um incrível legado foi revelado: Descobertos entre outros objetos deixados na casa da família de Christie estavam seus diários – 73 cadernos escritos à mão com notas, listas e desenhos que apresentavam seus planos para diversos livros, peças e contos. Entre essas relíquias, observações, pistas e notas sobre seus famosos livros, que fascinaram gerações de leitores. Repleto de detalhes que a modesta autora jamais revelou, Os diários perdidos de Agatha Christie inclui reproduções das páginas originais de seus cadernos e cartas, e, ainda, a publicação de dois contos inéditos de Poirot. Imperdível. POR QUE COMPREI? Já disse aqui que Agatha é minha autora favorita e achei interessante ter livros que incluam trechos de suas anotações. Os dois juntos saíram por R$ 9.90 nas lojas Americanas.

SENHORA (José de Alencar, Ciranda Cultural) – “Senhora” é uma obra diferente de seu tempo, já que não é conduzido de um ponto de vista masculino, mas sim por uma mulher que traz para si a qualidade de sujeito da história. O tema central desse romance é o casamento por interesse, que José de Alencar transforma em uma espécie de transação comercial ao dividir a obra em quatro partes com nomes bem sugestivos: O Preço, Quitação, Posse e Resgate. Romance romântico com toques de realismo há em “Senhora”, por meio de sua personagem principal, uma critica sobre o modo como o dinheiro importava na sociedade da época. Seu autor procurou mostrar como a riqueza içava as pessoas por entre a alta sociedade, e como a falta de dinheiro as depreciava, como mostra ao relatar a vida de Aurélia, que vai do começo pobre à ascendência após receber a herança de seu avô. POR QUE COMPREI? Minha irmã me indicou esse livro e como tenho uma certa resistência por clássicos da literatura brasileira, mesmo sem nunca ter lido, resolvi dar uma chance, já que o comprei por R$ 4.90 na Saraiva.

E aí, alguém já leu algum dos livros que mostrei no post? Gostaram?

Até a próxima!