Book Haul – Julho

E cá estamos nós em mais um Book Haul! O mês de julho passou voando e venho compartilhar com vocês o que adquiri neste mês. Não foram tantos livros como em junho, mas tem muita coisa boa.

IMG_8777

Vamos ver?

IMG_8772

A GAROTA DO CALENDÁRIO – MARÇO e ABRIL (Audrey Carlan, Verus Editora) – Mia vai passar o mês de março em Chicago com o empresário Anthony Fasano, que a contrata para fingir ser noiva dele. A princípio Mia não entende por que um homem tão lindo e másculo precisa de uma falsa noiva, mas ela está prestes a descobrir…O cliente de abril é o astro de beisebol Mason Murphy, de Boston, que precisa de Mia a seu lado para melhorar sua imagem com os patrocinadores. Mason não está acostumado a ouvir “não” de mulher alguma, e Mia vai representar o desafio supremo para ele. POR QUE COMPREI? Além de estar amando a série, aproveitei uma promoção do site Méliuz que devolvia 100% da compra na Saraiva até R$ 35,00. OBS: Esse caderninho no meio e o marcador são mimos que recebi este mês da editora por ter comprado os primeiros dois exemplares na pré-venda.  

IMG_8773

KIT CLUB DA LUTA – (Chuck Palanniuk, Leya)

Clube da Luta
Considerado um clássico moderno desde sua publicação em 1996, o livro Clube da Luta consagrou Chuck Palahniuk como um dos mais importantes e criativos autores contemporâneos, além do próprio livro como um cânone da cultura pop. O livro que estava esgotado há anos volta às livrarias nessa caprichada edição. O clube da luta é idealizado por Tyler Durden, que acha que encontrou uma maneira de viver fora dos limites da sociedade e das regras sem sentido. Mas o que está por vir de sua mente pode piorar muito daqui para frente. O livro foi filmado em 1999, pelo vencedor do Oscar de melhor diretor, David Fincher (OsHomens Que Não Amavam as Mulheres, A Rede Social), que conseguiu adaptar toda atmosfera do livro, o mundo caótico do personagem e o humor negro de Palahniuk em uma trama recebida com inúmeros elogios pela crítica e pelo público que conta com os atores Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter.

Condenada
A filha de uma estrela de cinema narcisista e de um bilionário, Madison, é abandonada em uma escola interna na Suíça durante o Natal enquanto seus pais estão divulgando seus novos projetos e adotando mais órfãos. Ela morre de uma overdose de maconha – e a próxima coisa que sabe é que está no inferno. Madison compartilha sua cela com um grupo heterogêneo de jovens pecadores que é quase bom demais para ser verdade: uma líder de torcida, um atleta, um nerd, e um punk, unidos pelo destino para formar a versão “six-feet-under” do filme favorito de todos. Madison e seus amigos caminham através do Deserto de Caspas e escalam a Montanha Traiçoeira de Unhas para enfrentar Satanás em sua cidadela. Todos os doces, que servem como moeda no inferno, não poderão comprá-los.

Maldita
A saga de Madison continua, agora no Purgatório! Madison Spencer, a menina morta mais animada do universo, prossegue com sua aventureira vida após a morte, iniciada em Condenada. Se no primeiro livro Chuck nos trouxe um inferno brilhante que só ele poderia imaginar, em Maldita a Terra é magistralmente retratada como o purgatório na obscura e retorcida visão apocalíptica deste provocante contador de histórias… Depois de um ritual de Halloween que deu errado, Madison fica presa no purgatório, ou, como é popularmente conhecido por mortais como eu e você, a Terra. Ela pode ver e ouvir cada detalhe do mundo que deixou para trás, no entanto, é invisível para todos os que ainda estão vivos. As pessoas não só podem olhar por entre ela, como andam através dela também. À medida que Madison revisita a dolorosa verdade do que aconteceu ao longo desses anos (incluindo um encontro perturbador e finalmente fatal em que… bem, deixa pra lá), sua saga de condenação eterna assume um novo e sinistro significado. Satanás teve Madison em suas vistas desde o início: por meio dela e de seus pais, verdadeiras celebridades narcisistas, ele planeja projetar uma era de condenação eterna. Para todos.

POR QUE COMPREI? A princípio não eram do meu interesse, mas vi uma promoção dos três livros + toalha por R$ 16,90, então achei uma ótima oportunidade para dar chance a livros diferentes.

IMG_8774

SOPPY – OS PEQUENOS DETALHES DO AMOR (Philippa Rice, Fábrica 231) – É uma reunião de bem-humoradas tirinhas criadas a partir de momentos da vida real da designer britânica com seu namorado. Bastante popular na web, com mais de meio milhão de postagens no Tumblr, Soppy conquistou as redes sociais com declarações de amor escondidas nos detalhes do cotidiano de um relacionamento, como dividir uma xícara de chá, a leitura de um livro, ou comentários irônicos à frente da TV numa tarde chuvosa. As charmosas ilustrações capturam com delicadeza a experiência universal de dividir uma vida a dois, e celebram a beleza de encontrar o amor em todo lugar. POR QUE COMPREI? Achei fofo e aproveitei para usar na categoria quadrinhos da #mldeferias.

MINHA VIDA DAVA UMA SÉRIE (Guilherme Cepeda e Larissa Azevedo, Editora Única)– Se você não resiste a uma série e é uma daquelas pessoas que assistem a muitas ao mesmo tempo, fica indignado quando uma delas é cancelada, vive esperando por novos episódios e novas temporadas, então, aceite: você é um de nós, um viciado em séries. E viciado em série passa por todo tipo de apuro: você não vê a hora de voltar para casa para assistir o próximo episódio porque não consegue parar de pensar: “AHH, O QUE VAI ACONTECER?”, ou quando você precisa conversar com alguém sobre o que aconteceu no final de temporada, mas seu amigo ainda não assistiu e você não quer dar spoiler ou, pior: quando você teve que desligar o computador pois já tinha virado a noite e chegou a hora de trabalhar (e a temporada não acabou!). Agora você tem como resolver – ou pelo menos aliviar – todas essas preocupações que são sintomas de um amante de séries. Este livro foi criado para você desabafar todas as suas angústias e frustrações do mundo das séries, o suspense de cada episódio, as risadas que nunca esquecerá daquela série de comédia que todo mundo já assistiu, e também para não se perder entre tantas séries queridas. Conte tudo o que quiser compartilhar sobre essa sua relação de dependência dos seriados da televisão. Aqui você encontra: Um espaço para listar seus personagens preferidos; Os 10 mandamentos do viciado em séries; Um planner para você organizar os seriados que está vendo e em qual episódio parou; E muito mais! POR QUE COMPREI? Amo livros interativos e já tenho o “Minha vida dava um livro”, que adoro! Resenha aqui.

Assim como no último Book Haul, conforme forem saindo as resenhas, atualizo os links aqui pra vocês.

Espero que tenham gostado e deixem sua opinião caso já tenham lido alguns desses livros!

Beijos!

Menina Má

Olá, leitores!

Estou aqui mais uma vez trazendo uma resenha de um livro que promete muito suspense e mistério: Menina  Má, de William March, publicado pela Darkside Books.

IMG_8756

O livro é bem antigo, sua primeira edição data de 1954, mas agora a Darkside chamou nossa atenção relançando-o com essa capa maravilhosa, que não tem como quem entre numa livraria e não sinta a curiosidade aguçar. Por dentro ainda é recheado com folhas pretas com ilustrações antes e depois da história. Bem no clima sombrio que esperamos dele.

“Quando nasce a maldade? Nascemos todos inocentes e somos corrompidos pelo mundo à nossa volta? Ou será a maldade uma espécie de semente que carregamos dentro de nós, capaz de brotar mesmo na mais adorável das crianças? Há 62 anos, um livro de suspense psicológico faria com que milhões de leitoresdiscutissem apaixonadamente essa questão. Que livro era esse? Menina Má, mais um clássico que a DarkSide Books desenterra para os fãs do que há de melhor, e mais sombrio, na literatura mundial. Publicado originalmente em 1954, Menina Má se transformou quase imediatamente em um estrondoso sucesso. Polêmico, violento, assustador eram alguns adjetivos comuns para descrever o último e mais conhecido romance de William March. Os críticos britânicos consideraram o livro “apavorantemente bom”. Ernest Hemingway se declarou um fã. Em menos de um ano, Menina Má ganharia uma montagem nos palcosda Broadway e, em 1956, uma adaptação ao cinema indicada a quatro prêmios Oscar, incluindo o de melhor atriz para a menina Patty McComarck, que interpretou Rhoda Penmark. Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também. Menina Má é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter. O romance de William March, que chega as livrarias em 2016, é ainda uma excelente dica de leitura para os fãs da coleção Crime Scene, da DarkSide Books, que investiga casos reais de psicopatas. A ficção nunca antes foi tão assustadoramente real como em Menina Má.”

O livro é narrado por terceira pessoa, o que nos mostra o que diferentes pessoas pensam enquanto a trama se desenrola.

Rhoda, a linda menininha loira de 8 anos, impressiona a todos com sua inteligência, sua organização e sua independência. É criada por sua mãe Christine. Seu pai está sempre viajando, por isso, Rhoda é muito mimada por suas vizinhas, que não se importam em ajudar Christine a cuidar da garota.

Logo no início do livro, Rhoda perde a medalha de caligrafia da escolha para Claude Daigle, o que a menina considera injusto e logo após, num passeio de escola, Claude morre afogado de uma forma misteriosa, onde é encontrado com alguns ferimentos e sem a medalha.

De início, Christine teme pela cena que Rhoda possa ter presenciado, mas logo se impressiona com a frieza da menina diante da situação e começa a se perguntar se a menina não teria algo a ver com o que aconteceu, e esse pensamento começa a assombrá-la. Seria o jeito organizado e independente de Rhoda parte da personalidade fria e calculista de uma mente criminosa? A partir daí, a mãe começa a lembrar de vários acontecimentos do passado que aconteceram de forma duvidosa e em todos Rhoda esteve presente e tinha algum interesse envolvido.

“Christine pensou: Ela é tão fria, tão impessoal em relação a coisas que incomodam os outros… Era isso o que nunca fora capaz de entender.”

Christine começa a se interessar por casos de crimes , tentando encontrar alguma semelhança no perfil psicológico da filha, ao mesmo tempo que vai tendo terríveis descobertas e uma conclusão chocante.

Em todo o livro podemos perceber o medo e as incertezas que vivem no interior da mãe de Rhoda diante da possível constatação que a mulher cria uma criminosa.

Outro personagem de destaque é o zelador Leroy, uma homem estranho e sádico, que sempre percebeu a maldade em Rhoda, mas que de forma sádica gosta de perturbar seu temperamento controlado.

“Como é que você pode sair para brincar quando seu coleguinha afogado mal esfriou no caixão? Eu acho que você tinha que estar em casa chorando até cair os olhos, ou na igreja, acendendo uma vela.”

O livro é bem detalhado, com bastante suspense e com um desfecho digno de um filme de terror! O autor conseguiu nos mostrar um ponto de vista bem explicado para o questionamento que sempre fizemos que é: De onde vem a maldade? E falando no autor, esta edição traz uma introdução escrita por Elaine Showalter que traça um perfil de Willian, onde vemos claramente que assim como seus personagens, ele era uma pessoa cheia de problemas e bastante perturbado. Inclusive aponta muitos aspectos de Menina má que coincidem com a vida do autor.

Willian morreu no mesmo ano em que este livro foi publicado e não viu seu sucesso que dura gerações e que agora tive a oportunidade de conhecer e simplesmente adorei!

Alguém por aí também gostou?

PS: Esse livro foi o primeiro lido na #MLde Férias, na categoria “Um livro publicado antes de você ter nascido”.

Série Minha Vida: Minha Vida Dava um livro e Minha Vida Dava Uma Série

Oi para todos!

O post de hoje é especial para quem gosta de livros interativos, assim como eu.

Guilherme Cepeda e Larissa Azevedo idealizaram a Série Minha Vida, publicada pela editora Única, com páginas divertidas sobre os assuntos que mais gostamos: livros e séries.

IMG_8764

Comprei “Minha Vida Dava um Livro” na última Black Friday e desde então não larguei mais. É como um caderninho onde você pode anotar livros lidos, personagens favoritos, wish list, além de páginas com frases de diversos livros. São vários desafios pra vocês registrarem todos os aspectos da sua paixão por livros.

Essa semana descobri que também existe o “Minha Vida Dava Uma Série” e fui correndo comprar. Ainda está quase em branco, mas mal vejo a hora de ir preenchendo tudo sobre minhas séries favoritas, Nesta edição também teve uma novidade: o leitor tem ainda mais interação com os QR Codes, onde podem ser baixados planners para anotar em que episódios está , acessar playlist inspirado nas séries e ainda tem desafios com hashtags para postar no Instagram. Óbvio que para algumas dessas coisas existem aplicativos para registro, mas preencher esses livrinhos é bem mais legal!

Espero que tenham gostado da dica! Beijos!

PS: O gato da foto é o Peeta e peguei ele num dia bom, pois ao contrário da irmã Katniss (que sempre aparece no blog e no insta), ele não é muito fã de fotos!

#MLDEFÉRIAS – MARATONA LITERÁRIA

Oi, pessoal!

Hoje vim dividir com vocês os livros que serão lidos por mim na Maratona Literária de Férias, que está acontecendo desde 16/07 e vai até 14/08. A maratona está sendo organizada pelos canais Dear Maidy, Nuvem Literária, Pronome Interrogativo e Literature-se e foram sugeridos 10 temas para a escolha dos 10 livros da Maratona. OK: não estou de férias, mas adoro desafios literários e tô cheia de livros para serem lidos, então fiz minha lista e espero conseguir ler todos (média de 1 livro a cada 3 dias). Vejam:

ML

IMG_8742

Bem, não vou me prolongar muito, até porque esses livros serão as próximas resenhas do blog, então aguardem as resenhas.

OBS: Os livros que não estão na foto, serão lidos por e-book.

Vou ficando por aqui, mas caso alguém queira dividir sua TBR, deixe nos comentários” 🙂

Tá Todo Mundo Mal – O livro das Crises – Jout Jout

Olá!

Quem aqui conhece os videos da Jout Jout? Eu sempre assisto e me divirto muito: alguns engraçadíssimos, outros mais inteligentes… Então, agora a Jout Jout lançou seu livro pela Companhia das Letras e é dele que iremos falar hoje.

IMG_8638

Pra começar, gostaria de falar sobre essa leva de blogueiros/vlogueiros que estão lançando livros. Sim, tenho certo preconceito por esses livros, que em sua grande maioria descrevem a biografia de jovens que mal completaram 20 anos. Porém procuro saber mais quando é de alguém que acompanho e o assunto sai um pouco desta regra. Foi o que aconteceu com “Tá todo mundo mal”. Gosto muito de Jout Jout e comecei a ler as resenhas de seu livro, me interessei e acabei comprando. É um livro contando muitas das suas crises, mas como uma forma de causar identificação no leitor. Assim que comecei a ler, foi o que aconteceu comigo, me identifiquei com algumas histórias como “A Crise constante que era ter um Tamagotchi” e “A crise do sexo da vida real”.

“Eu perdia meu Tamagotchi, esquecia meu Tamagotchi, molhava meu Tamagotchi, mas acima de tudo eu amava meu Tamagotchi, Tudo que queria era vê-lo forte saudável, alimentado e feliz. Mas não é fácil ser mãe aos seis.”

É um livro para se ler em um dia ou simplesmente ler a hora que quiser, abrindo em qualquer capítulo, porque são histórias diferentes. No entanro, não deixou de ser um livro biográfico, pois mostra muito da Júlia (nome da Jout Jout) de vários períodos. Só não é contado de forma cronológica. Mas é um ótimo livro para se ler quando tudo vai mal, pois vemos que em muitos acontecimentos da vida, não estamos sós nas nossas crises. É legal, é interessante, mas por tudo que já tinha lido antes sobre o livro, esperava mais. Dei 3 estrelas no Skoob.

“Nada mais reconfortante para quem está numa crise do que saber das crises dos outros e ficar medindo em silêncio sobre se a deles é pior ou mais branda que a nossa própria!”

Quanto à impressão do livro em si, achei bem original, com folhas pretas no início de cada capítulo, o que considero fazer referência ao começo de cada crise.

Bom, esse foi meu primeiro livro lido cujo autor é uma Youtuber. E vocês, indicam algum do gênero que valha a pena ser lido?

 

A Lista de Brett

Olá!

O livro que será discutido hoje é “A lista de Brett”, de Lori Nelson Spielman, lançado pela Verus Editora.
IMG_8735
O livro conta a história de Brett, uma mulher de 34 anos que acabou de perder sua mãe, dona de uma indústria de cosméticos. Apesar da dor da perda, Brett esperava assumir o cargo da mãe na presidência da empresa, mas durante a leitura do testamento,Brett tem uma surpresa: todos os irmãos recebem suas partes na herança, porém a de Brett é condicionada a realização da sua lista de desejos que fez quando tinha 14 anos. Sua mãe guardou esta lista e no testamento fez a exigência de que ela cumprisse tudo em 1 ano ou não receberia a herança. O grande problema é que são sonhos de uma garota de 20 anos atrás. Alguns parecem distantes de serem realizados e outros não fazem mais parte dos desejos de Brett. A cada sonho realizado, Brett ganharia uma carta que a mãe deixou falando sobre o sonho.
O livro mostra uma Brett que começa a conhecer a si mesma durante a tentativa de realizar essas tarefas e começa a ver o quanto dela se perdeu com o tempo e com as pessoas que fizeram parte da sua vida. E muitos dos desejos se realizam nessa jornada, meio que sem querer, pelo simples fato da personagem começar a encontrar um rumo e um sentido para sua vida.  As cartas da mãe também são um incentivo a mais, pois a menina descobre o quanto a mãe a conhecia e a cada leitura é como se sua mãe estivesse mais perto dela.
“Acredito que uma forte emoção, até mesmo nascida do medo e da ansiedade, seja bem melhor que uma vida de banalidades”
Nunca li nada dessa autora, porém achei o livro magnífico, pois faz o leitor refletir sobre as lições que traz e sobre a própria vida. Eu, inclusive, já penso em fazer minha própria lista definitiva, não a que faço toda virada de ano. Acho que tive meus momentos de Brett, pois me peguei refletindo sobre muitas coisas da minha vida.
O livro me surpreendeu de forma bem positiva, não foi previsível e o final foi muito fofo. O único ponto ficou devendo é que algumas cartas não foram lidas. Mas ainda assim é um dos melhores livros lidos por mim esse ano!
O livro é sobre o amor, mas não é um romance.
Agora tchau a todos! Vou começar minha lista, rs

Tudo e Todas as Coisas

Olá!

Hoje vou falar de um livro que há muito tempo estava ansiosa para ler: “Tudo e Todas as Coisas”, de Nicola Yoon, lançado pela Editora Novo Conceito.

post 4

O livro é narrado por Madeline, uma menina de 18 anos que tem IDCG, uma doença em que qualquer contato pode causar infecções graves, podendo causar a morte. Por isso Madeline viveu sua vida inteira isolada numa casa extremamente limpa em que o ar é filtrado.

“Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa nunca sai em toda minha vida. As únicas pessoas com quem convivo são minha mãe e minha enfermeira, Carla.
Eu estava acostuma com minha vida até o dia que ele chegou. Pela janela olho para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano.
Ele me pega observando-o e me encara. Encaro-o também. Descubro depois que seu nome é Olly.
Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre. “

“Pela primeira vez em muito tempo, desejo mais do que aquilo que tenho”

Com a chegada de Olly, Madeline passa a ter ainda mais curiosidade pelas coisas do mundo e o relacionamento que deveria ser apenas pela internet começa a se tornar algo a mais e Maddy sente cada vez mais vontade de ter uma vida normal. Então novos questionamentos começam a surgir na cabeça de Maddy: Viver significa apenas ter uma vida ou significa aproveitá-la ao máximo, sem pensar nas consequencias? A partir daí Maddy começa a fazer coisas que podem trazer sérios riscos à sua saúde.

“Eu era feliz antes de conhecê-lo. Mas agora estou viva e isso não é a mesma coisa”

A personagem Maddy é muito bem construída, podemos notar uma menina ingênua, porém inteligente, exatamente como seria alguém sem contato com as pessoas e com muito tempo para estudar e ler. Sua solidão pode ser vista ao longo do livro, que apesar de ter 300 páginas é bem rápido de ler, pois muitas páginas são como anotações de Maddy, com notas ou desenhos:

post 1

Além da estrutura do conteúdo, a capa é linda, bem colorida e o livro vem com um lindo marcador de plástico transparente:

post 2

Gostei do livro. Quando li a sinopse, já imaginei como seria o meio e o fim do livro, mas a autora saiu do óbvio, o que é muito bom.

Espero que a resenha tenha os incentivado a ler este livro, que é bem diferente. Se você já leu, compartilhe sua opinião.

Beijos!